FACES MOLHADA


Lembrei de ti, e essa lembrança me trouxe o cheiro da chuva
As faces molhada, incolor
Lembrei, e me veio audível o seu barulho
Na insistência, trovejou
 
Escureceu o céu, mas sossegou a alma
Raios de saudade clareou
Chuva sem nenhuma calma, acalentou me a lembrança
Sinto o cheiro, o jeito aguaceiro, de lembrar de ti
 
Essa chuva de saudade, insiste em cair
Escorreu, virou a esquina, escondeu na vala
Fertilizou a lembrança, socorreu a sede e deu abastança
Apagou a poeira e trouxe a beleza dos liríos do campo
 
Lembrei de ti, e a doçura de uma bela chuvarada campestre
Me invadiu a alma…
Sinto o cheiro, chuvarada agreste, regou a minha memória
E as faces molhada, tocam o azul do céu.
 
 
Elizaete Ribeiro

Sobre Elizaete

Elizaete Ribeiro. Poetisa e Contista. Nasceu na cidade de Açailândia - Maranhão, em 14 de abril de 1979. Residente em São Paulo, Capital desde 2002. Acadêmica do Curso de Letras e Estudante de Piano Erudito com introdução ao popular. É uma das autoras do livro "Meninas Super Poéticas". Publicou nas Antologias de Poemas: Ecos da Alma e O Segredo da Crisálida (Editora Andross); na 5ª Antologia de Poemas Lembranças ao Vento e I Seletiva - Amor à Poesia, Elemento Terra, Cenas Cotidianas, Palavras que falam e palavras que calam, À Deriva, Dois Corações e uma só batida, pela Editora Beco dos Poetas & Escritores); organizadora da antologia de Contos e Crônicas "Do Princípio ao Fim". Publicações Internacionais: Antologia WAF 2011 (Editora Corpos, Porto - Portugal) e A Sombra do Coração (livro solo), também pela Editora Corpos, Porto - Portugal. Contato com a autora: elizaeterib@hotmail.com
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.